seguir no FACEBOOK

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Verão Paraná 2012




Projeto melhora a coleta de material reciclável no Litoral





O Instituto das Águas do Paraná (ÁguasParaná), a Sanepar e o Provopar Estadual desenvolvem um projeto-piloto durante a Operação Verão para aumentar o volume de materiais recicláveis coletado no Litoral. - Para isto o palhaço PIRI e uma equipe especialmente selecionada para orientar os veranistas da importância da limpeza das praias, levando sacolas biodegradáveis para todos.

Fernanda Richa e palhaço PIRI
No Paraná é diferente na administração das questões ambientais. Aqui, o respeito à Natureza a proteção ao meio ambiente são linhas de ação. o exercício da cidadania requer que toda a comunidade, seja sensibilizada e conscientizada sobre a importância de adquirir novos valores, hábitos e atitudes em sua vida cotidiana.


EDUCAÇÃO — Um grupo de jovens acadêmicos ligados à área ambiental também está contribuindo com o projeto do ÁguasParaná, Sanepar e Provopar Estadual. Eles foram capacitados para atuar como monitores e estão trabalhando em grupos distribuindo saquinhos de lixo para os veranistas na orla. Entre 2 e 3 mil pessoas são abordadas a cada dia no comércio e em pontos de grande concentração de pessoas, como a travessia do ferry-boat entre Caiobá e Guaratuba e o terminal de embarque para a Ilha do Mel, em Pontal do Paraná.
“Esse é um trabalho de sensibilização da população e dos veranistas para separar o material reciclável do lixo orgânico e os horários adequados para disposição de lixo para coleta”, explica Tereza Lemes, do ÁguasParaná. “Para isso trouxemos estudantes de áreas como biologia, engenharia e gestão ambiental, veterinários e outros cursos, que é para podermos oferecer mais informação às pessoas sobre a importância dessa ação”, afirma ela.
Os monitores orientam a população a colocar o lixo para fora das residências no período entre 18h e 8h da manhã. O material reciclável é recolhido pela manhã, a partir das 9h e a sugestão é que para esse tipo de material sejam usadas sacolas azuis, ou pelo menos de coloração clara, como as sacolas de supermercado. O caminhão que passa fazendo a coleta é diferenciado, tipo baú, e está identificado. O material coletado é entregue diretamente às associações de catadores. Para o lixo orgânico, a sugestão é que sejam usadas sacolas plásticas pretas.
CONSCIENTIZAÇÃO – “A população está bastante receptiva, nos agradecem e podemos notar que a conscientização está elevada. Trabalhar com esse público está sendo uma boa experiência profissional”, afirma Gustavo Misael, de 27 anos, que é formado em Gestão Ambiental e pós-graduação em Análise Ambiental. Para Mairon Nogoceke, de 23, formado em Medicina Veterinária, a experiência no litoral também está sendo interessante. “Como veterinário vejo a importância desse trabalho para reduzir o número de vetores urbanos como pombos, ratos, pardais e mesmo urubus. A deposição de lixo na rua de forma inadequada ou em horários errados ajuda na proliferação desses vetores”, explica.
Os serviços de educação ambiental no Litoral são destinados, principalmente, às crianças e adolescentes, e tratarão de temas como separação de materiais recicláveis, destinação adequada dos resíduos em lixeiras e cuidados com a natureza. “Queremos mostrar aos cidadãos que atitudes simples podem contribuir para a limpeza da praia. As férias são um período de descanso e diversão, mas não podemos esquecer nosso compromisso com o meio ambiente”, diz a diretora de Resíduos Sólidos do ÁguasParaná, Carla Mittelstaedt.




video

Nenhum comentário:

Postar um comentário