seguir no FACEBOOK

terça-feira, 18 de março de 2014

A Arte da Comédia faz declaração de amor ao teatro




A Arte da Comédia

Criada como uma declaração de amor ao próprio teatro, “A Arte da Comédia” gira em torno da representação, do jogo de cena e das produções culturais. Trata-se da terceira peça do ator, diretor e autor italiano Eduardo De Filippo (1900-1984), escrita em 1964. Adaptado por Sergio Módena, diretor e encenador carioca, o texto ganhou montagem envolvente e irreparável segundo a crítica teatral, que não poupou elogios para o espetáculo. A produção também fez sucesso junto ao público do Rio de Janeiro, onde estreou no início de 2013 e também em São Paulo, onde esteve em cartaz de janeiro a fevereiro deste ano. Agora, a montagem chega à Mostra 2014 do Festival de Curitiba.

Parte dos elogios à produção se deve, principalmente, à encenação precisa de Módena, com uma ação envolvente e eletrizante, e à atuação do seu conjunto de atores, com destaque para os dois protagonistas, Ricardo Blat e Thelmo Fernandes, indicados à etapa carioca do Prêmio Shell. Esses elementos conferiram à montagem a vivacidade e o humor exigidos pelo célebre texto de Filippo.

Tida como uma declaração de amor ao teatro, “A Arte da Comédia” se concentra no embate entre Orestes Campese (papel de Ricardo Blat) – um velho diretor de uma miserável companhia teatral que perde sua sede depois de um incêndio e exige providências – e De Caro (Thelmo Fernandes), o prefeito da cidade para quem o teatro não é importante e recusa-se a ajudar. Expulso do gabinete do prefeito, Orestes recebe por engano a lista de personalidades a serem recebidas pelo administrador municipal naquele dia. O artista aproveita o incidente para plantar a dúvida na cabeça do prefeito: sugere a possibilidade de haver disfarçados entre os visitantes alguns atores da sua companhia.  A partir de então, De Caro vê-se às voltas com a difícil tarefa de diferenciar verdade e farsa, encenação e realidade.

 “A Arte da Comédia” se vale do jogo entre verdade e ficção para exaltar a arte da representação e retoma a discussão da finalidade das produções artísticas. Além das duas indicações ao Prêmio Shell-RJ, a montagem recebeu quatro indicações (espetáculo, direção e a dupla de protagonistas) na primeira edição do Prêmio Cesgranrio de Teatro, do Centro Cultural Cesgranrio (RJ). Pelo seu papel como prefeito, Thelmo Fernandes recebeu o prêmio FITA 2013, concedido pelo Festival Internacional de Teatro de Angra.

Ficha técnica:
A Arte da Comédia (Rio de Janeiro/RJ)
Texto: Eduardo De Filippo
Tradução: Marcio Aurélio
Direção: Sergio Módena
Elenco: Ricardo Blat, Thelmo Fernandes, Erika Riba, Gustavo Wabner, Alcemar Vieira, Celso André, Alexandre Pinheiro, Sávio Moll (stand in Ricardo Blat), Teresa Tostes, Poena Viana, Bruno Gonçalves, Sergio Somene e Renato Bavier (ator stand in)
Cenário: Aurora dos Campos
Figurino: Antônio Medeiros
Luz: Tomás Ribas
Composição trilha sonora original: Gabriel Mesquita
Produção trilha sonora original: Fernando Lauria
Programação Visual: Mary Paz
Visagismo: Guilherme Camilo
Fotos projeto gráfico: Paula Kossatz
Assistente de Cenário: Ana Machado
Assistentes de figurino: Vitor Saraiva e Alessandra Padilha
Assistente de luz: Victor Emanuel
Operador de Luz: Ricardo Grings
Operador de som: Thiago Silva
Diretor de Palco: Leandro Machado
Assistente de produção: Henryque Rocca
Gestão do projeto: Trupe Fabulosa e Renato Bavier
Idealização do projeto: Erika Riba, Gustavo Wabner e Sergio Módena
Realização: Trupe Fabulosa Produções Artísticas e Três Ideias e Soluções Culturais
Duração: 100 min

A ARTE DA COMÉDIA
FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA – MOSTRA 2014
Teatro Positivo
Dia 29 de março, às 21h; dia 30 de março, às 19h
www.festivaldecuritiba.com.br
                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário